Blog do Chicão

Ser livre - Pensar livre - Livre Pensador

 

Pensamento racional        sexualidade        ecologia        política        filosofia naturalista

   

 

chicaodoispassos@yahoo.com.br

 

 

Página principal

 

31/10/2007

A importância das árvores nas cidades

 

Além de ser habitat de várias espécies vivas as árvores, principalmente as de médio e grande porte, são fundamentais para a vida em uma cidade.

Vejamos alguns benefícios:

- ruas que margeiam praças bem arborizadas chegam a ter uma temperatura inferior em 5 graus de uma rua no centro de uma grande cidade. O mesmo acontece com ruas que possuem grandes árvores nas suas calçadas. Eu medi a temperatura numa dessas ruas arborizadas (28,3 graus) e na rua de cima, sem arborização ou com alguns coqueirinhos (33,8 graus). Isto se deve ao fato do concreto, das pedras da calçada e do asfalto “amplificarem” o calor, que as árvores “absorvem”.

Uma boa idéia seria obrigar através de multas a todas as casas terem uma metragem mínima de área de jardim, com árvores, e que tenha ao menos uma grande árvore na caçada.

- ruas e praças arborizadas possuem uma estética mais agradável, convidando as pessoas a participarem do espaço público, fazendo exercício e cultivando as amizades. Imagine você sair na porta de sua casa e ficar embaixo de uma sombra. Agora imagine sair na porta de casa e ficar debaixo de um sol escaldante. Como dizia o ditado: "sombra e água fresca ..."

- ruas e praças arborizadas aumentam o contato com a natureza, servindo por isto mesmo como elemento diminuidor do stress.

 

 

 

Esta é a anti-arborização. Atrás, na foto, onde há um monte marrom era o lugar onde vivia uma árvore explendorosa. Com grande copa, grande sombra. Centenas de passarinhos nasceram dos ninhos construídos em suas copas. 

Ao morrer ela foi substituída por este coqueirinho, a planta da moda. Sem sombra, sem acolhida para os pássaros.

Tenho visto dezenas de exemplos como este. Saem árvores frondosas e entram coqueiros e outras plantas exóticas, muitas delas próprias do deserto. 

 

 

 

31/10/2007

Fim do mês. Cansado? Então relaxa... 

 

 

Uma é pouco?

 

 

A beleza do corpo humano. 

Sua anatomia.

 Suas curvas.

 Sua sensualidade.

 Sua exuberância.

E a minha liberdade.

Porque tornar negativo algo que alegra a minha vida?

 

 

 

30/10/2007

Poço sem fundo (transparência pública)

Dora Kramer

A oposição talvez não esteja disposta a rechear a empada do presidente em exercício do Senado, Tião Viana, e por essa razão resiste à sugestão feita por ele à Mesa Diretora da Casa, de expor na internet a contabilidade da verba de R$ 15 mil mensais, oficialmente destinada às despesas com os escritórios parlamentares nos Estados de origem de cada senador.

Esta é a melhor das hipóteses. A mais provável, porém, está traduzida na frase do primeiro-secretário Efraim Morais, um “demo” convertido -“a medida expõe a Casa em demasia” -, na falta de interesse do líder do Democratas, José Agripino, e na declaração do líder do PSDB, Arthur Virgílio - “então vamos divulgar também os gastos com os cartões corporativos da Presidência da República” (a condição de oposicionista lhe confere prerrogativa inclusive de brigar por essa divulgação a qualquer tempo).

Em resumo, os senadores querem dizer que preferem manter em sigilo o destino dos gastos. E, se não há vontade de divulgar dados sobre dinheiro com destinação certa, no mínimo autorizam a forte suspeição de que esteja sendo desviado para outros fins.

Só o desejo de manter a destinação real como incerta e não sabida explica a resistência.

A alegação do senador Efraim sobre a “demasia” da exposição mostra que atualmente o Senado não está em condições de atribuir à conduta do presidente licenciado, Renan Calheiros, a fonte de todos os seus males.

 

Nota do Chicão: porque será que esta matéria não foi capa dos jornais? A hipótese mais provável é que eles não querem regras mais transparentes, pois estas seriam válidas também para as áreas de marketing e propaganda.

Regras mais duras poderiam atingir os próprios donos dos meios de comunicação, que não são santos, como todos sabem. O vínculo destas empresas de comunicação com a política e os políticos que possuem a simpatia deles é PURO NEGÓCIO.

Segundo informações colhidas por este blog com um funcionário do senado podemos dar a posição de alguns senadores. Quem ficou a favor: Eduardo Suplicy, Aloísio Mercadante, Siba Machado e Fátima Cleide.

Quem ficou contra: Álvaro Dias, Raimundo Colombo, Marconi Perilo, Marisa Serrano, Eliseu Resende.

A transparência pública é o principal instrumento que o Brasil precisa para diminuir a corrupção, desorganização e o desperdício. Toda verba pública, assim como os contratos, devem estar disponível na internet para consulta.

Ex: imagine um contrato com uma ONG para educação de adultos: deveria estar na internet o contrato, notas fiscais de gastos, local, dia e hora das aulas, nomes dos alunos, nome do professor, etc. Desta forma poderia ser mais fácil a fiscalização, não só por órgãos competentes, mas também pela sociedade organizada.

 

PS: observem a sutileza dirigismo de raciocínio da autora: em uma parte do texto ela escreve - "os senadores querem dizer que preferem manter em sigilo o ..." – é uma forma de colocar todos como “farinha do mesmo saco”. Esta frase visa dirigir o raciocínio de quem lê o texto para evitar que ele tenha uma apreensão verdadeira da realidade. Qual é esta imagem: existem os que apóiam o sigilo e existem os senadores que querem a divulgação pela internet. Como o maior apoio se dá na bancada do PT esta “sutileza” é escondida. A regra nas redações é associar este partido com o que há de ruim e não com o que há de bom.

PS2: aqui no estado de São Paulo a assembléia legislativa aprovou um projeto importante de transparência pública (de autoria do então deputado Carlos Neder). Quando o José Serra assumiu o governo do estado de SP uma de suas primeiras ações foi vetar este projeto. Uma pena! Devemos lembrar que a luta por transparência pública encontra inimigos em todos os partidos, justamente porque é a melhor ferramenta para avaliar o governo e seus gastos.

 

 

 

 

29/10/2007

O menino que não queria ser viado

 

Entrei no ônibus que me levaria até o aeroporto. O ônibus estava quase vazio. Sentei sozinho em uma fileira de poltronas. Atrás, na frente e ao lado ninguém. Uma situação boa para quem estava viajando “fugindo” da vida. Precisava ficar sozinho e pensar na minha vida, por isto iria passar uma semana isolado de tudo e de todos.

Meu isolamento não durou nem 10 minutos, pois logo entrou um menino (adolescente) que, entre as inúmeras poltronas vazias, escolheu aquela ao meu lado. Ele estava visivelmente perturbado e eu puto com minha solidão precocemente importunada. O menino, que devia ter uns 15 anos, se mexeu de um lado para o outro e por fim disse: “este é o ônibus que vai para o aeroporto”? Fiz um sim com a cabeça e voltei aos meus pensamentos.

Logo o menino começou a falar da vida dele. Era filho de pais separados e estava indo para a casa do pai, que não era a casa dele, pois o pai havia se casado de novo e tinha filhos. Continuou falando compulsivamente sobre sua vida. Eu quase não escutei, imerso na minha necessidade de solidão.

Depois de uma eternidade de explicações ele disse que queria morar sozinho, mas tinha medo. Ele não queria ficar como eu. E começou a falar de mim, um monte. A fantasia era enorme. Eu comecei a me divertir com as opiniões dele sobre mim. E olha que eu ainda não havia aberto a boca. Ele me tachou de triste, infeliz, mal amado, sem auto-estima, etc. Talvez fosse isto que estivesse demonstrando para ele; havia algo errado em mim, tanto é que estava voando para ficar sozinho no meu “esconderijo secreto”. Normalmente eu levava umas amigas comigo. Elas se divertiam na praia enquanto eu lia meus livros de poesia, filosofia e história. Minhas necessidades sempre foram simples: mulheres, natureza e livros. Naquele dia era diferente: sem mulheres e sem livros, só a antureza. Me propus um retiro, ficar sozinho, só comigo. Aquele menino estava me atrapalhando. Logo passou o interesse pelas suas opiniões e eu disse: “menino, agora preciso ficar sozinho”. Mudei de lugar.

No aeroporto ele me procurou falando tudo de novo. Perguntei se ele sabia como embarcar e ele me disse que 2 vezes por mês fazia aquela viajem. Ele me disse que como eu era muito infeliz ele poderia me contar um segredo: “Eu não quero ser viado”. Eu disse: “eu também não”. Ele disse: “você não está entendendo. Você é a primeira pessoa com quem falo sobre isto. Eu não tenho desejo por homem, mas eu não quero ser viado”. Ele era confuso e sem liberdade com os pais. Mesmo assim falei sobre a importância dele conversar com o pai. E disse: “é importante a gente ter alguém para confiar”. Ele disse: “eu escolhi você”. “Eu não quero cumprir este papel, não com você. Você não pode contar comigo. A pessoa certa é seu pai” eu disse. “não é não”, ele disse, “quem sabe sou eu. A vida é minha”. Conversa de louco...

Minha paciência havia se esgotado. Eu estava em meio a uma crise existencial que me ensinou a ser o que sou hoje. Estava viajando para ficar sozinho e o menino me acompanhando pelo aeroporto falando feito um louco, “porque você sabe ouvir”. Ele desatou a contar que quando dormia repetia para si que não iria virar viado. O pensamento positivo iria evitar que ele deixasse de ser heterossexual. Ele repetia milhares de vezes: “eu não vou ser viado. Eu sou homem e gosto de mulher”. Acreditava na força do pensamento positivo. Se imaginava cercado de lindas mulheres, beijando-as. Ele disse: “eu acredito no pensamento positivo, você devia fazer que nem eu”. Eu respondi: “eu acredito no pensamento racional e na realidade... se você não sente atração por homens, o que te faz ter medo de virar viado”? “Você não entende ... tem algo... eu sinto tesão no cu. Pronto, falei”! Não falei nada, porque não sabia o que falar. O menino ficou quieto e silencioso. Depois de alguns momentos fui claro com ele: “existem muitos homens que sentem prazer no anus. Isto é muito comum. E todos eles, na sua idade, ficam com dúvidas sobre a sexualidade. O anus é erotizado por natureza, alguns homens sentem isto mais fortemente. Isto nada tem a ver com o desejo. Vários amigos meus passaram por isto, hoje, mais velhos, eles dão risada do medo que tinham de se tornarem homossexuais”. Ele levantou e chorando me disse: “eu sabia que você ia me falar o que eu devia ouvir”.

Ele foi embora e me deixou preocupado com a sua sanidade mental.

Meses depois eu o encontro no mesmo aeroporto. Ele me diz: “você curou a minha nóia. O que você me disse era verdade, não era”? Eu disse que sim, vários amigos tinham passado por esta situação (mentira, eu sabia de um único caso). Mas, como era tabu entre os homens ninguém falava do assunto e assim eles sofreram muito.

O menino foi embora, de novo, sabendo de que o anus é um órgão erogeneizado. Ou seja, um órgão no qual temos prazer, seja através da defecação, seja através da contração do anus. Ou, no caso dos homossexuais através da penetração. Alguns homens também gostam de que a mulher faça sexo oral em seu anus, assim como muitas mulheres gostam de receber uma lambidinha no anus.

Descrevi esta história porque recebi uma mensagem de uma pessoa que me falou algo parecido com esta história que lhes conto. Em vez de responder somente a ela resolvi contar esta história e, quem sabe, ajudar alguém.

 

 

 

A negativização da vida reflete diretamente sobre a nossa opinião sobre o ânus. A consequência é que o prazer advindo do anus se tornou clandestino. 

Não é atoa que um pai, quando viu as fotos da filha na internet transando com um ex-namorado, se sentiu humilhado porque a filha apareceu fazendo sexo anal. 

Coisas da vida...

Eu adoro uma mulher, de frente e verso. 

Por isto sou poeta.

 

 

28/10/2007

Piadinha

A arte de advogar


Um advogado andava em alta velocidade pela cidade com seu BMW, quando foi parado pelo guarda de trânsito.


O Guarda: - O senhor estava além da velocidade permitida, por favor a sua habilitação.

Advogado: - Está vencida.

Guarda: - O documento do carro.

Advogado: - O carro não é meu.

Guarda: - O senhor, por favor, abra o porta-luvas.

Advogado: - Não posso, tem um revólver aí que usei para roubar este carro.

Guarda (já bastante preocupado): - Abra o porta-malas!

Advogado: - Nem pensar! na mala está o corpo da dona deste carro, que eu matei no assalto.

O guarda , vendo-se diante das circunstâncias, resolve chamar o Sargento Chegando ao local o Sargento dirige-se ao advogado:

Sargento: - Habilitação e documento do carro por favor!

Advogado: - Está aqui senhor, como vê o carro está no meu nome e a habilitação está regular.

Sargento: - Abra o porta-luvas!

Advogado (tranqüilamente...) : - Como vê só tem alguns papéis.

Sargento: - Abra o porta-malas!

Advogado: - Certo, aqui está... como vê, está vazio.

Sargento (constrangido): - Deve estar acontecendo algum equívoco, o meu subordinado me disse que o senhor não tinha habilitação, que não era o dono do carro pois o tinha roubado, com um revólver que estava no porta luvas, de uma mulher cujo corpo estava no porta malas.

Advogado: - Só falta agora esse sacana dizer que eu estava em alta velocidade!!  

 

 

28/10/2007

Da série: emails que recebo

Repelentes naturiais para pernilongo

 

Olá Chicão,
Faço parte de um grupo que atua na área de plantas medicinais, Sálvia Terra. Somos todos voluntários e trabalhamos para resgatar a sabedoria popular e repassar nosso conhecimento sobre o uso correto e identificação das plantas medicinais.
Para manter o grupo, desenvolvemos produtos à base de plantas medicinais e nosso carro chefe chama-se refil ecológico, que nada mais é que uma pastilha para colocar naquele aparelhinho contra mosquito ligado na tomada. O refil é feito com palpel reciclado e plantas repelentes.
Além de eficaz, não prejudica nossa saúde por não conter nenhuma química.
Elena

"Sálvia Terra" salviaterra@terra.com.br 

 

Nota do Chicão: Elena, parabéns pelo seu grupo e pelas suas pesquisas. São pessoas como vocês que fazem o mundo mudar. Normalmente as sociedades se mobilizam para a guerra (como vemos na pintura abaixo). Isto acontece porque as pessoas colocam o seu orgulho como mais importante do que o servir. Acabam gerando uma vida pessoal cheia de conflitos. O reflexo, na sociedade, destes conflitos é a guerra e a belicosidade. Na época em que o presidente da Bolívia ocupou as refinarias da Petrobrás lá na Bolívia não faltou pessoas "dignas" dizendo que o Brasil deveria mandar tropas para defender suas refinarias. Já pensou a guerra que iria acontecer? 

 

 

 

 

27/10/2007

Um bom exemplo de um Brasil que não fica esperando os políticos

 

A sociedade deve se organizar. As pessoas devem se juntar e buscar soluções conjuntas, baseadas em conhecimentos científicos e tradicionais.

Só assim o Brasil superará seus problemas. O primeiro passo é olhar para a realidade e identificar o problema. O segundo passo está em se organizar e estudar.

O desafio é grande, porém, os resultados são animadores.

Veja abaixo um exemplo:

OBS: é um erro pensar que devemos buscar soluções porque os políticos brasileiros são ruins. É porque em qualquer situação somos nós mesmos os responsáveis por nossas vidas.

Como diz um lema dos anos 60: não importa o que fizeram com você. Importa o que você faz com o que fizeram com você.

 

Banco de semente salva a lavoura no Nordeste

Carolina Mandl

Valor Econômico 26/10/2007

 

Depois que virou banqueiro, Inácio Tota diz que deixou a pobreza para trás. "Foi o início do meu enriquecimento", afirma o agricultor de Soledade, município do semi-árido paraibano. 

A sede do banco, porém, dá mostras de que "seu Tota" não preside uma instituição tradicional. É de uma sala instalada no fundo da casa do agricultor - uma pequena propriedade rural a 70 km de Campina Grande - que sai toda sua riqueza. 

No lugar de um cofre com cédulas e moedas protegido por senhas e alarmes, uma portinhola se abre para várias pilhas de garrafas PET de refrigerante cheias de sementes de feijão, milho, gergelim, fava e sorgo. Trata-se de um banco de sementes comunitário. 

Bastante comuns na Paraíba, onde estão em mais de 60 cidades, os bancos de sementes começam a se espalhar pelo território nordestino por meio de ações da Articulação do Semi-Árido Brasileiro (ASA), grupo de 700 organizações da sociedade civil. Só na Paraíba, em Alagoas e no Ceará - Estados onde os bancos estão mais desenvolvidos - cerca de 13 mil famílias e 300 bancos estão envolvidos no projeto. 

Como acontece nas instituições financeiras, os bancos de sementes também emprestam, permitem que se invista e se guarde recursos neles. O objetivo é servir como um estoque de sementes para o pequeno agricultor do semi-árido. Em anos bons, planta-se e guarda-se no banco parte dos grãos da colheita para a próxima safra. Assim, se faltar semente - ou dinheiro para comprá-la - no próximo ano, é só ir ao banco sacar o depósito. 

Quem não tem um estoque pode pegar um empréstimo. Mas, como em qualquer banco, ali também se paga juro. Quando for feita a colheita, devolve-se, além da quantidade de semente que se pegou emprestada, um pouco a mais para recompensar os associados do banco. O agricultor que tem milho, mas quer plantar fava, por exemplo, também pode trocar sua "moeda" lá. 

"A guarda da semente é uma resposta à escassez. Antes, tínhamos que esperar a semente do governo. Muitas vezes, ela chegava atrasada, quando a chuva já tinha passado. Ou vinha semente de má qualidade", afirma Tota, que preside o banco de Lajedo do Timbaúba, comunidade de Soledade. O agricultor é responsável por registrar todos os depósitos, os saques e organizar as assembléias que definirão os juros e os empréstimos.

"A plantação é importante em diversos aspectos da vida do agricultor. Ela garante a alimentação dele próprio e dos animais, além da receita com a venda dos produtos. Daí a importância de se garantir a oferta constante de sementes", afirma o agrônomo Emanoel Dias da Silva, do Patac, uma organização não-governamental que trabalha com agricultura familiar no semi-árido paraibano e que faz parte da Articulação do Semi-Árido Brasileiro. 

Neste ano, o que salvou a plantação dos agricultores da comunidade Caiçara, também em Soledade, foi o banco de semente. "Como a chuva foi pouca no ano passado, quase todo mundo teve que recorrer ao banco. O problema é que também faltou água neste ano, aí ninguém lucrou para repor o estoque", conta José Maciel, presidente do banco de Caiçara e agente de saúde.

A saída será pegar novos empréstimos do banco de sementes de Soledade, criado por uma lei municipal em agosto deste ano. "Foi um meio que encontramos de garantir uma reserva estratégica para os agricultores familiares", explica José Bento Leite do Nascimento, vice-prefeito e secretário de desenvolvimento rural de Soledade, cidade com 13 mil habitantes. 

Mas, além de garantir um estoque, os agricultores querem com os bancos resguardar as sementes locais. "Se não preservarmos nossas sementes, virão outras de diversas partes do país, que não estão acostumadas ao semi-árido", avalia o agricultor de Soledade Antônio José Borges Ramos. 

É comum entre quem planta o discurso de que as sementes nativas vingam mais do que as compradas e precisam de menos defensivos agrícolas. Muitas sementes são guardadas pelos agricultores há diversas gerações de uma mesma família.

No entanto, por trás da sabedoria popular está uma explicação mais científica. "Em termos de genética faz todo sentido dizer que as sementes nativas são mais adaptadas ao semi-árido. Elas passaram por toda uma interação genética para criar resistência ao ambiente", afirma Ciro Scaranari, que é engenheiro agrônomo da Embrapa Transferência de Tecnologia. 

No ano passado, os bancos de sementes começaram a ser apoiados pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). "Para incentivar a formação dos bancos, compramos sementes dos agricultores e doamos para novos se formarem", explica Valéria Fernandes, gerente de projetos da Conab. 

 

 

 

 

 

26/10/2007

Para agir com liberdade

 

Aqueles que querem atingir a liberdade devem se ater à realidade. Devem enfrentar os desafios do orgulho e da vaidade para perceber a realidade além dos seus interesses pessoais. Este é o ponto inicial e fundamental. 

Outro dia fui comprar um carro e a vendedora desandou a falar que o presidente do Brasil havia acabado com a educação, etc. Fui assuntando e descobri que seu filho estava tentando entrar na faculdade pública e não conseguia. Indo mais a fundo descobri que o filho dela era o típico bobinho que teve de tudo e gastou sua vida entre a televisão e outras bobagens. Pouco esforço gera pouco resultado. Isto ela não queria encarar. Então... “taca o pau no Lula”. 

Fui esticando a conversa: o menino tinha de tudo, mas não aproveitava as oportunidades e os recursos  de que dispunha. O problema não é a pessoa ter de tudo, é o desperdício de não aproveitar as oportundiades e os recursos que recebe da família e da socciedade. Quem desperdiça não valoriza, não vai a fundo nos desejos e obrigações e nem aprende a tolerar a frustração. A mãe, que não quer enxergar a realidade, joga a culpa no presidente... É triste! A mãe não tolera a realidade de que o filho, por enquanto, é um fracassado. Com isto diminui sua chance de ajudá-lo.

Quando o ser humano não tem coragem de assumir suas próprias responsabilidades frente à vida ele joga sua culpa para os outros. Como nossos políticos são muito fracos (salvo raras exceções como o senador Suplicy e o Ministro Patrus Ananias) eles se tornam o bode expiatórios perfeitos para a massa da população que desiste de viver com coragem e sabedoria.  

A capacidade de perceber e aceitar a realidade é fundamental para se formar um Livre Pensador. 

A capacidade de luta é fundamental para o Livre Pensador enfrentar os desafios de transformar a realidade.

   

 

Em homenagem à chuva que finalmente veio.

 

 

26/10/2007

Da série: Poesia Erótica Feminina

"TODINHA  NUINHA"

  Graça  da  Praia  das  Flechas

   

Quero escrever uma poesia,
daquelas bem insana,
para que tu penses sempre em mim,
todinha nuinha na cama,
esperando para te ter,
e te dar bastante prazer...
Uma fêmea endiabrada,
que gosta de estrepolia,
em noites de pura folia,
amando com muita rebeldia,
inventando fantasias,
que adora dormir pelada,
com o sexo à mostra,
do jeitinho que tu gostas...
Vou colocar o travesseiro,
sob meu bumbum maneiro,
para o elevar,
em evidência minha bichinha ficar...
Quero te deixar doidinho,
pra fazeres milhões de carinhos,
enquanto teus dedos
acariciam minha gruta,
tua boca percorre
meu corpo inteiro,
deixando-me quase maluca,
dos pés até à nuca,
querendo fazer-me gozar,
até à exaustão chegar...
Em meu corpo macio e gostoso,
que está agora quentinho,
de sexo todo molhadinho,
pra nele tua boca colocar,
primeiro me mordiscas à nuca,
de minha gruta sai um doce manjar...
Me agarras pelas ancas,
de quatro estou, feito potranca...
Nesta hora tu me achas,
a mais bela das mulheres,
aquela em que tu usas,
os tais dos mil e um talheres,
sou a mais linda tentação,
aquela que te enche de puro tesão...
Podes acreditar com certeza,
que sou tua mulher, de cama e mesa,
às vezes usando singeleza,
mas amando sou
a própria safadeza...
Quero somente contigo estar,
tesão fluindo, deixa rolar,
em pé, deitada, de quatro,
na cama, na frente, atrás,
no elevador, na escada,
no chão, na praia, na mesa,
na banheira, com champagne,cereja,
o que me importa é ser tua,
nem que seja no meio da rua...
Não sou cachaça,
mas quero te embriagar,
deixar-te capenga e manco,
sem teres condições
para em outra fêmea pensar...
Pode ela em ti se esfregar,
porque de mim somente
estarás lembrando,
com o nosso gozo
refluindo em tua boca,
o que estará ela ainda esperando?...
Eu sou tua dona,
venhas correndo pra mim,
sou a tua Prometida,
e tu,
és meu Amante Amado sim,
vou reinar absoluta,
do princípio até o fim...

 

 

 

 

25/10/2007

Repercussão - Faltam passarinhos, sobram pernilongos

 

O blog do Chicão (http://blogchicao.tripod.com/) recebeu dezenas de emails sobre o texto que postamos sobre passarinhos.

Um amigo, vegetariano roxo, fez uma seleção das discussões do grupo que ele faz parte no Yahoogrupos, chama-se veg-brasil. Segue abaixo (lembrem que são mensagens de várias partes do Brasil):

Obs: os comentários são meus.

 

Emaisl 1- Lá em casa está com uma quantidade razoável de pernilongos.
Já houve uma crise maior há uns anos atrás. E lá em casa, sempre teve muita árvore e pássaros, lagartixas e  aranhas (cigarras, saguis, tamanduá, gato, cachorro, esquilo, cobra só de vez em quando). Os calangos tinham sumido uma época, mas já voltaram a uma boa população. Já os sapos sumiram mesmo já vai pra 10 anos.
O pessoal lá de casa tem usado os mosquiteiros, a melhor forma para quem tem problema com os mosquitos (cortinados).
Mas eu tenho dormido só de short, sem cobrir, sem mosquiteiro e não tenho me incomodado não.

 

Nota do Chicão: gostaria muito de ver aqueles camelôs vendendo mosquiteiros pela cidade. Com esta última infestação de pernilongos o uso de inseticida disparou. O problema maior do inseticida, além da intoxicação, é que mata outros animais que não são o alvo e que são importantes para o equilíbrio ambiental.

Quando era adolescente na minha casa tinha muita flor e dezenas de borboletas. Aí chegou a dengue e com ela o tal caminhão do fumacê. Acabaram com as borboletas. Fiquei triste. Depois de meses reapareceram algumas, bem poucas. Nunca mais foi a mesma coisa. Não perdemos só a beleza das bosboletas, foram seres vivos que foram massacrados e violentados. Quando iremos levar a sério a vida dos animais?

 

 Email2 - Eu tenho lotado minha casa de óleo de citronela e nem assim dá pra agüentar. As lagartixas aqui também sumiram depois que fizeram uma detetização nos terrenos sem construção aqui perto. Aranhas idem. Também teve um surto de formigas depois da detetização, elas se instalaram embaixo do piso do quintal e, conseqüentemente, perto demais de onde a Espoleta dorme.
Aliás, aqui perto tem uma favela e alguns prédios abandonados da Encol - o que, infelizmente, são locais muito propícios pra acúmulo de água parada.

 

Nota do Chicão: a cultura que despreza os animais é a mesma que despreza nossas próprias vidas. Por isto as pessoas se destroem e investem na própria infelicidade. As favelas seguem o mesmo padrão cultural: pouco cuidado com o que é comum. O espaço para fora de casa não é reconhecido como um espaço que deve ser cuidado, embelezado e usufruído. Ou seja, onde está o que é público, é lugar do descuido e do pouco caso. Nas favelas as casas são limpas e logo ao lado as pessoas jogam o lixo. Mas, não pense que isto só acontece nas classes populares... Fui andar de bicicleta, a uns 5 meses atrás, em um condomínio em Bertioga, SP, chamado Riviera de São Lourenço. Condomínio de classe média alta, enorme. O que me chamou a atenção é que as áreas de mata (áreas públicas) perto das casas estão sendo destruídas e apropriadas como quintal das casas. Algumas pessoas destroem a mata por terem medo de bichos, etc.

Se é público não é de ninguém. Esta visão de mundo precisa ser mudada urgentemente.


Email 3: A única coisa que espanta os pernilongos sem quase me matar sufocada é deixar o ventilador ligado virado direto pra cama. O Rodrigo até compra veneno, mas eu sempre evito usar.

 

Nota do Chicão: para usar o mosquiteiro (se é sobre isto que escreveu) precisa-se acostumar.  O sufocamento acaba com o costume, que é o mais ecológico e mais eficiente. Com ele você pode deixar a janela aberta, para circular o ar. Caso esteja em um lugar muito quente experimente colocar o ventilador do lado de fora do quarto, para ele introduzir no quarto o ar fresco de fora da casa. Outra alternativa é a cobertura verde no telhado e a circulação de ar entre o telhado e a laje da casa, evitando o efeito estufa.


Email 4- Passarinhos, pelo menos, tem aos montes.
 

Nota do Chicão: que delícia. Curta muito. E aprenda a agradecer todo dia este benefício. Tem gente que fica prestando atenção ao que falta na vida. Aprenda a prestar atenção ao que abunda.

 

Email 5 - Também quase não se vê calangos, que se alimentam de pequenos insetos. Eu ainda tenho sorte, pois na minha casa pode ser ver, no mínimo, 4 casais de calangos ( o macho sempre maior e bem mais bonito, para não falar que é lindíssimo.), bicos-de-lacre, que são passarinhos com o bicos vermelhinhos que pousam na ponta de pendões dos capins, anus, pássaros pretos, gaviões pega-pinto, 3 tipos de pica-paus e, tem, inclusive, um gambá muito simpático que vive revirando a terra do meu quintal, além de se alimentar de frutas diversas. No meu terraço, no meio do telhado, moram muitas famílias de canarius urbanus (pardais) e uns pequenos, meio amarelados, que parecem canários. De quando em vez, há tucanos pousando nos fundos de casa. Mas já já tudo acaba, pois o fogo grassa por aqui.
Se com esse tanto de vida silvestre já estamos com uma enormidade de pernilongos (nunca vi tanto quanto nesta época) e aleluias (cupins), quando o restante das árvores forem derrubadas e todo o piso impermeabilizado, aí, sim, teremos mais problemas e incômodos.

E também faltam sapos e pererecas. 

Nota do Chicão: É isto aí. Vai ser pior quando (e se) destruirmos tudo. 

 

Email 6 - Desde que começou a epidemia de roundup (herbicida) aqui na Borda, antes de eu vir para cá, sumiram todos os sapos. E depois que começou a epidemia de morango, sumiram também todas as lagartixas e todas as aranhas de teia.
Ou seja, a invasão de mosquitos e moscas quando o tempo esquenta é absurda.
...

 Borda da Mata, MG

 

Nota do Chicão: Na natureza existe muito mosquito. Em equilíbrio a natureza oferece belezas, recursos e potencialidades que superam o que é negativo. Quando em desequilíbrio perdemos o que é bom e mantemos o que é ruim. 

 

Email 7 - Interessante esta mensagem pois aqui em casa, que é bem perto do centro de S.Paulo, de um ano pra cá tem aumentando e muito a quantidade de pernilongos, mas muito mesmo. Esta noite antes de dormir tinha mais de uma dezena no quarto. Peguei o inseticida e foi o único modo de conseguir dormir. Outro fato é que tem uma quaresmeira bem na porta, e os vizinhos tem falado que pode ser ela que atrai os pernilongos, mas ela também atraído passarinhos, que ficam, cantando no fim da tarde. Percebi também, uma vez, uma revoada de pernilongos, numa dança circular, bem na porta. Outra coincidência com a msg é que sempre me perguntei porque não plantam arvores frutíferas nas ruas, pq só decorativas, alguém sabe a razão????
Alguém tem alguma sugestão, fora o inseticida, para espantar os pernilongos????
 
[]s

 Nota do Chicão: amiga, se você cortar a quaresmeira perderá os passarinhos e manterá os pernilongos. Abaixo coloquei um email que explica um pouco este fato. Aproveito para te convidar a rceber as mensagens deste blog no seu email. Mande um email para o grupo Notícas do Chicão:

noticias_chicao-subscribe@yahoogrupos.com.br

 

Email 8 - Paulo, que delícia sua casa....agora que você falou me lembrei: faz tempo que não aparecem lagartixas em casa....antes era comum....

... - São Paulo

 

Nota do Chicão: tanta coisa que a gente esquece ... lagartixa vive em quase qualquer lugar. Elas, porém, são muito susceptíveis ao veneno colocado por empresas de dedetização, que duram meses no ambiente. Ambiente desequilibrado: as armadilhas químicas dos produtos de limpeza e mais o veneno, tem sido fatal para algumas espécies de animais. Não sou contra produtos de limpeza, porém existem alguns que são menos nocivos que outros.

 

Email 9 - Lagartixas são mais do que comuns em minha casa, junto com aranhas e formigas diversas, além de lagartas.
Delícia só quando chove, pois quando é seca é fumaça, fuligem e doenças.

Email 10 - Aqui em casa são utilizados os cortinados. Não gastam energia elétrica.

 

Nota do Chicão:  as pessoas podem e devem ter a consciência de que sempre estão escolhendo. O processo de mudança de consciência dura muitos longos anos e é fruto de muito esforço que é realizado por alguns. Há quantos anos vocês acreditam que as pessoas paralíticas lutam para ter acesso a coisas simples como calçadas rebaixadas? O desprezo pelos animais é o mesmo do desprezo pelos humanos portadores de necessidades especiais. Que é mesmo desprezo pelas leis, pela honestidade, etc. Desde que decidi ser 100% correto sou motivo de gozação e ironias. Mas, percebo em minha vida o quanto é bom e gostoso viver desta forma. O que se perde é muito pouco perto do que se ganha. 

 

Acima a foto de um caminhão "fumacê" jogando veneno indiscriminadamente no meio ambiente e, obviamente, matando muitos e muitos tipos de animais.

 

 

25/10/2007

Planta atrai pernilongo?

 Abaixo segue um email que recebi sobre plantas “atraírem” pernilongos

Tenho uma cerca viva, mas ela está cheia de pernilongos. Já coloquei todos os tipos de veneno, mas de nada adiantou. O que devo fazer para eliminá-los?
...
CARAPICUÍBA (SP)

O biólogo e pesquisador do Instituto Biológico João Justi Júnior afirma que a fêmea do pernilongo precisa de sangue para maturar os ovos. Portanto, a cerca viva deve estar infestada, principalmente, por pernilongos machos, que se alimentam do néctar das plantas que formam a cerca. O biólogo alerta que o uso de inseticidas tem pouca eficácia, pois as condições de aplicação não permitem um efeito residual desses produtos, obrigando o leitor a fazer pulverizações constantes. Isso, observa Justi, aumenta os riscos de intoxicação de pessoas e animais, além de elevar custos. Uma medida eficaz é fazer o controle dos insetos que ficam em volta e dentro da casa, em vez de tentar eliminar os pernilongos que infestam a cerca viva. O leitor deve procurar os possíveis focos de origem desses pernilongos, como locais com acúmulo de água, e utilizar telas para evitar a entrada na casa. Pode-se, ainda, eliminar os insetos dentro de casa, utilizando produtos adequados. Fazendo esse controle, é provável que os machos que estão na cerca, esperando as fêmeas para acasalamento, também sumam do local.

 

 

 

24/10/2007

A Ignorância anti-ecológica continua

 

A destruição da natureza se processa através de decisões cotidianas. E, também, através da perpetuação de valores e crenças que sustentam um modo de ser e viver que terá, obrigatoriamente, que ser modificado.

Observe esta situação: uma revista semanal apresenta a construção de uma ponte de forma a realçar sua grandiosidade e importância para a cidade de S. Paulo. Ou seja, transforma a ignorância e o atraso em algo fenomenal.

“Com suas pistas em curva e suspensas por 144 cabos, a ponte estaiada sobre o rio Pinheiros é um ousado projeto de engenharia e um desafio aos 420 operários que trabalham a até 138 metros de altura” é a forma que ela se refere a este desperdício de dezenas de milhões de reais.

Lógico que existe o interesse em promover um prefeito amigo da empresa que edita tal revista. Este vínculo entre eles faz parte do negócio.

Enquanto isto o metrô progride a passos lentos. As ciclovias praticamente não existem. O programa de transporte coletivo, forte na gestão anterior da Marta, é asfixiado. 

 

 

Veja abaixo a reprodução de um texto deste Blog:

 Eleição chegando: 2008 está aí para os políticos candidatos, e o prefeito de São Paulo lançou mais um pacote viário. Pontes, túneis, avenidas, tudo para os carros andarem felizes por S. Paulo. Para ciclovia uma merreca. Investimento em transporte público uma merreca.

Sinceramente, eu não julgo mal (por investir nestas coisas) o prefeito, ele é político e quer votos. O que dá votos são obras viárias. Quantos defensores da ecologia deixam de andar de carro particular? Não é justo cobrar do prefeito que ele se sacrifique por pessoas que não querem se sacrificar.

A solução: começarmos a denunciar o quanto é prejudicial para a cidade a construção de mais áreas de trânsito para carros. O orçamento de SP poderia prever apenas investimentos em:

a) ciclovias

b) vias exclusivas para ônibus

c) metrô

 O lema poderia ser: mais pontes, mais congestionamento. Mais metrô e ciclovias, menos poluição.

Obs: achei melhor mudar o lema da minha campanha pessoal. 

Se você quiser colaborar com minha campanha me escreva ( chicaodoispassos@yahoo.com.br ), principalmente se você souber fazer aquelas propagandas para colocar em sites.

 

 

Você pode se filiar ao grupo "notícias do Chicão" e receber no seu email o material deste site (à excessão das fotos, músicas e desenhos)

mande um email para: 

noticias_chicao-subscribe@yahoogrupos.com.br

 

 

 

23/10/2007

Sofia, a mulher triste

 

Já se vão vários anos que conheci Sofia. Ela me marcou pelo seu corpo espetacular e por uma tristeza que poucas vezes presenciei. Talvez a tristeza mais difícil: a tristeza do abandono e do estar sozinha no mundo.

Eu a conheci em uma manhã de domingo. Ainda morava em SP e fui andar de bicicleta pela cidade. Em cima do Minhocão havia um grupo de garotos pulando com as bicicletas em rampas. Fiquei por ali com eles, pulando e conversando. Passado um tempo parou uma gostosa e começou a observar os desafios. Estava muito divertido; eu, os moleques e mais umas 10 pessoas conversando como velhos amigos. Entre elas a gostosa. Não dei muita bola, afinal uma gata daquela dificilmente fica desacompanhada. Mas, depois fiquei sabendo que não era o caso. Ela foi ficando justamente para não ir para casa.

No outro domingo, como combinado, voltei ao mesmo local. A gostosa também voltou. Desta vez eu percebi: ela veio sozinha. Imediatamente meu pênis deu o alarme e começou a dirigir a minha atenção. Ela desceu da bicicleta, sorriu e ficou na dela vendo os saltos nas rampas. Seu sorriso era composto de dentes perfeitos emoldurados por dois lábios carnudos. Peitos empinadinhos, sem sutiã, em uma camiseta bem solta. Sem saber ela escolheu uma roupa que me matava de tesão. O meu tesão me levou a conversar com ela. Fiquei ali mais de 4 horas. Já não sabia se ela ficou todo este tempo por minha causa ou por outra pessoa. Mas, algum motivo havia para sua decisão. Depois, fiquei sabendo que não era nada disto. Era solidão.

Ao ir embora falei que a acompanharia até sua casa. Neste momento vi sua tristeza. Percebi que ela não queria voltar para casa. Então eu falei: “vamos até meu apartamento, lá é super legal”. Ela topou e lá fomos nós. Ao chegar lá transamos e pude perceber que seu corpo era mais bonito nu do que vestido. Uma bunda redonda, coxas firmes de quem cresceu caminhando na areia, barriga perfeita, peitos rijos. Ela era bela. Transamos gostoso. Tomamos banho, conversamos. Transamos de novo. Nos abraçamos, conversamos bastante. Já era o final da tarde e eu tinha um compromisso familiar. Combinei de nos encontrarmos nos próximos dias. Ao me despedir percebi uma tristeza enorme; e não era por me deixar. Dei a ela a opção de ficar no meu apartamento. Ela topou na hora. Voltei, mais sexo. Dormi... acordei de madrugada, queria mais sexo e Sofia não estava na cama. Ela estava em um outro quarto, chorando.

Ela havia crescido em Santos. Sua mãe nunca ligou para os filhos. Eles iam para a escola se quisessem. Para comer ela comia na casa de alguém, pois a mãe só fazia comida de vez em quando. O pai era um vagabundo que só queria saber de arranjar uma mulher para viver a custa dela. Desde a infância ficava de casa em casa, dependendo de favores e de caridade. Saiu de casa e foi para SP trabalhar com uns primos, que só cheiravam cocaína e se metiam em atividades ilegais. Para ela voltar para casa era um terror. Com o corpo bonito aprendeu que poderia arranjar muitos caras (que nem eu), que temporariamente a tirariam de casa, em troca de sexo.

Ela passou pela “mão” de dezenas. Eu era o “dezenas” mais um. O que fazer? Como ajudar? Será que poderia ajudar? Ela me pediu para ficar sozinha e eu respeitei. Voltei a deitar, mas não consegui dormir. Eu sempre fui amado. Sempre tive quem me amparasse e era (e sou) muito grato a todas estas pessoas (pai, mãe, tios, tias, irmãos, amigos). Ela não. Me perguntei como seria viver sem alguém que me oferecesse segurança. Por outro lado sei muito bem que várias pessoas que sofrem colaboram firmemente com seus problemas.

No outro dia levantei, ela foi trabalhar com minha roupa. Mesmo com roupa de homem ela ficava um tesão. O que fazer? Primeiro eu pensei: se a única coisa que ela tem é o corpo e o sexo, seria sacanagem negar uma boa trepada para ela. Estava decidido: eu continuaria a comê-la. Era a minha diversão, a dela e era uma forma de conhecê-la melhor e aí, quem sabe, descobrir uma forma de ajudá-la. Quando contei para uma amiga a situação e a decisão ela disse: “chicão, a gente não deve pensar com a cabeça do pinto”. Eu fiquei em dúvida e logo cheguei a uma solução: “a gente não pode pensar somente com a cabeça do pinto”. Porque se eu não a comesse iria negar a minha natureza. E a dela também, porque não. Ela gostava. Se ela fosse uma menina "normal" não haveria nenhum pudor em transar com ela. Será que só por causa do sofrimento eu não poderia comê-la? Será que ela que já tinha pouco teria que perder isto também? Que tipo de preconceito é este? Ela já estava fudida e agora nem dar ela poderia?

Decisão sexual tomada eu resolvi ajudá-la. Mas como? Ela não estudou. Era semi-analfabeta (descobri depois). Não tinha nenhuma habilidade, a não ser a corporal... Era difícil pensar em algo. Procurei ajuda de vários amigos e amigas. Foi uma mobilização. O primeiro lugar que apareceu para trabalhar era num ateliê de arte. Ela seria uma espécie da faz tudo. Conversei com ela e me propus ser uma espécie de tutor. Ela voltou a estudar e começou a trabalhar em um lugar saudável. A nova patroa era muito sensível e logo conquistou a confiança dela. A ensinou boas maneiras, delicadeza, fineza, a orientou no conhecimento das artes. Da minha parte acompanhava seus estudos escolares. Ela se esforçou. Mas valeu a pena: ela se tornou outra pessoa. Com o tempo ela encontrou alguém que lhe oferecia mais que uma boa trepada e amizade. E sua vida continuou.

Passei anos trepando com ela. Trepada boa e alegre. Havia algo mais: havia o desejo de vê-la melhor. Ela aproveitou as oportunidades. Ela se tornou outra pessoa. Fico feliz de ter participado desta mudança. Ela também é muito grata por tê-la aceitado e tido paciência para ajudá-la.

Eu acredito muito em ajudar as pessoas. Acredito muito que a maioria aproveita as oportunidades. Alguns desperdiçam. A maioria aproveita. Acredito que não precisamos sofrer para ajudar o próximo. Precisamos de boa vontade, criatividade, e respeitar nossos limites; tudo isto para que a ajuda seja duradoura (por anos, em muitos casos).

Hoje, enquanto escrevo estas palavras me sinto absolutamente feliz porque ajudei a Sofia. Trepei muito com ela, estudei com ela, viajei com ela, aceitei ela como ela era e ofereci coisas boas.

Ainda hoje ajudo pessoas e sei que aquelas que ajudamos estudar e a desenvolverem habilidades são as que nos proporcionam mais satisfação em perceber suas vidas renovadas positivamente.

 

 

 

A mão que protege é mais importante que a mão que acaricia?

Mas, elas não são as mesmas?

Então, quem as separou?

Se posso acariciar e proteger,

porque devo me contentar com menos?

 

 

 

 

23/10/2007

Da série: emails que recebo

O Futuro do Blog do Chicão Revelado

Chicão,

Acabo de te adicionar aos links do PALANQUE DO BLACKÃO:
http://heliopaz.wordpress.com/

Sugiro-te que mude o teu blog do Tripod para o Blogger ou para o
Wordpress, pois não dá pra te enviar comentários nem pra fazer busca
por posts antigos. Com essas medidas, certamente terás muito mais
visitas do que na atualidade.

Qualquer coisa, posso te dar uma força!
[]'s,
H.

 

A resposta do Chicão

H.

minha proposta é ser convidado um dia, quem sabe, para participar de um blog coletivo. Um lugar em que eu tivesse liberdade de escrever e que fosse um trabalho coletivo.

Não acredito muito em trabalho individual, como o meu. O individualismo é (salvo raras excessões) fruto de uma distorção humana. As pessoas optam pelo individualismo para terem mais liberdade. Isto é uma ilusão. No individualismo cansa-se mais, gasta-se mais tempo, há necessidade de muito mais esforços para fazer cada coisa. Imagine um blog onde uma pessoa que gosta de designer desenha e o desenvolve por tesão. Outros, como eu escrevem, outros desenham. Todos com liberdade e se completando. Acho que é muito melhor. O tempo que economizarei irei dar uns beijos na boca, conversar com alguém legal, ajudar uma pessoa que necessite. Este é o meu sonho e o meu desejo.

Te agradeço de coração sua dica e sua boa vontade, o mundo e a vida é melhor assim.

Enquanto isto vou plantando minha sementinha e regando...

Você será sempre muito bem vindo.

 Abraço,

PS: o título deste texto tirei daquele filme-livro: o segredo revelado. Uma bobagem que está vendendo horrores. Hoje eu encontrei com uma mulher que me mostrou, toda feliz, a pedra do "segredo". Isto mesmo! Eles vendem até pedra, pedra de fundo de rio, me pareceu. Segundo ela foi a pedra que a escolheu. Fantástico!!! A mente humana é capaz de cada coisa. É de uma plasticidade incrível. Olha que a mulher é bem capaz, bem sucedida profissionalmente, porém, sua fragilidade emocional a coloca em cada enrascada... Uma hora vou escrever sobre a vida dela (e sobre o seu boquete ma-ra-vi-lho-so). Várias vezes já lhe incentivei para divulgar sua incrível habilidade no sexo oral. Porém, a sexualidade é uma área em que muitos relutam em se revelar (aliás, o título do curso poderia ser: o segredo do boquete revelado). Brincadeiras a parte eu adoro ela e falo sério quando digo que é uma perda para a sociedade que tal segredo, importante na vida das pessoas, fique sem ser transmitido por preconceitos. 

Como digo em um poema (final desta página):

O que Deus fez é belo,

alguns homens, por estarem distante Dele,

transformaram em feio.

 

 

 

22/10/2007

Faltam passarinhos, sobram pernilongos

 

Quem mora aqui no interior de SP está convivendo com milhões de pernilongos. Seca? Efeito estufa? Lixo? Falta de passarinho?

Ops! Falta de passarinho? Isto mesmo! Um passarinho come até 150 pernilongos por dia. Com a falta deles, os pernilongos fazem a festa em nossas casas.

Faltam passarinhos por causa de desmatamento? Um pouco. Faltam passarinhos por causa dos venenos que colocam nas plantações? Isto também contribui. Estes venenos agrícolas são verdadeiras armadilhas para eles, que comem e depois morrem envenenados.

Faltam passarinhos porque a casa de cada um de nós está cada vez mais anti-ecológica? Sim, senhor!

“Como assim”? Você me pergunta. “Minha casa está cada vez mais anti-ecológica? Porque”?

Faz tempo que eu tenho notado este fenômeno. São 4 mudanças fundamentais no quesito "jardim":

1) cada vez mais as casas estão impermeabilizadas. Ou seja, progressivamente os lugares onde existiam plantas (grama, jardim, árvores, etc.) estão sendo cimentados. Isto diminui, obviamente, os espaços onde os passarinhos e outros animais podem encontrar abrigo, alimento, etc.

2) as grandes árvores em frente das casas fazem sombra, refrescam a casa, mas geram folhas (sujeira segundo algumas donas de casa) e diminuem a iluminação dos postes de luz. Ruas com muitas árvores grandes são mais escuras. Por causa do medo de assalto as árvores, principalmente as grandes, estão sendo cortadas ou não substituídas quando elas morrem. Ganha-se em luz e em menos "sujeira".

Hoje são comuns casas sem árvores na frente. Andei por 3 bairros neste domingo e todas as árvores de grande porte que eu vi são árvores antigas, plantadas décadas atrás. Nada de árvore de grande porte plantada recentemente. Quando plantam, são árvores de pequeno porte e praticamente nunca árvore frutífera.

3) existem poucas áreas públicas e estas áreas públicas estão com pouco ou sem árvores e arbustos nativos. Isto é importante! Os passarinhos de sua região estão adaptados a comer frutos de árvores nativas. Por isto é importante que estas árvores (arbustos, etc.) tenham preferência na hora de serem plantadas. Dezenas destas plantas estão desaparecendo. Quando foi a últimas vez que você comeu bacaúva? Talvez você nem conheça esta fruta, tão consumida a 60 anos atrás. 

Hoje, com a Internet qualquer um pode descobrir quais são as plantas nativas de sua cidade, arrancar o cimento do quintal e fazer um belo de um jardim. E ter a alegria de alimentar outros seres vivos.

4) a estética preferida nos jardins atualmente geram um deserto verde: coqueirinhos, coqueirinhos, mais coqueirinhos. Para quebrar um pouco a monocultura de coqueiros coloca-se outras plantas que não produzem frutos, nem flores e nem dão abrigos aos animais. Ou seja, um deserto verde.

Tudo isto diminui a quantidade de alimentos e abrigos para os passarinhos. Diminui a quantidade deles que se alimentam de pernilonogos, que vão na sua casa te comer, que te fazem acordar a noite e colocar veneno nos quartos para você e sua família se intoxicarem.

Está na hora de cada um assumir a responsabilidade e transformar sua própria casa em uma área onde a ecologia é respeitada.

 A terra onde você construiu sua casa também pertence aos pássaros. Por isto mantenha uma área saudável onde possam encontrar alimentos e abrigo.

 

 

Esta praça é um exemplo. Ao fundo vemos grandes árvores plantadas a décadas. Quando a prefeitura "arrumou" a praça tratou de enchê-la de coqueirinhos. Eu contei 16 novos coqueiros e nenhuma árvore. Alguns arbustos foram plantados também, mas são exóticos e sem frutos. 

Esta é a estética do coqueiros que tanto sucesso tem feito com o povo, mas que mata nossos pássaros de fome.

 

 

 

22/10/2007

Você já comeu Jatobá ou Jataí?

 

*Nomes comuns: jatobá-de-mata, jatobá, jataí

*Nome científico: Hymenaea courbaril var. stilbocarpa (Hayne) Lee et Lang.; CAESALPINACEA

 

Descrição: Altura de 15 a 20 m, com tronco de até 1 m de diâmetro; folhas compostas; ocorrência: PI até o norte do PR na floresta semidecídua, tanto em solos de alta como de média fertilidade (cerradões). Madeira pesada (densidade = 0,96 g/cm3), muito dura ao corte, de média resistência ao ataque de insetos xilófagos sob condições naturais; alburno branco-amarelado, espesso e nitidamente diferenciado do cerne. É empregada na construção civil, como vigas, caibros, ripas, para acabamentos internos, portas, tacos e tábuas para assoalhos, para confecção de artigos de esportes, cabos de ferramentas, peças torneadas, esquadrias e móveis. Planta semidecídua, heliófita ou esciófita, característica da floresta latifoliada semidecídua. É uma espécie pouco exigente em fertilidade e umidade do solo, geralmente ocorrendo em terrenos bem drenados. Seus frutos contém uma farinha (polpa) comestível e muito nutritiva, consumida tanto pelo homem quanto por alguns animais silvestres. Espécie de clímax na sucessão natural ou artificial. Suas sementes (250 sementes/kg) germinam em viveiro dentro de 12 a 18 dias, com altos percentuais (às vezes superiores a 90%). As mudas desenvolvem muito rápido, mas no campo este desenvolvimento é apenas moderado.

 

http://www.geocities.com/TheTropics/Cabana/4792/especies.htm

 

 

 

21/10/2007

Da série: Poesia Erótica Feminina

COITO AFOITO...


Graça da Praia das Flechas


No coito
Afoito
Pernas se abrem
Como janelas
Têm frestas rachadas
Espias por elas.
Indecente tu és
Sugando meus pés.
Me enrola
Embola
Atocha
Na raça
Mesmo que eu faça pirraça.
Puxas meus cabelos
Separas meus tornozelos
Teu quente em meu atrás
Mais rijo que rocha tu estás
Eu grito: batas em meu traseiro !
Coloca-me sobre dois travesseiros.
Ilustre bandido
Dando nós em minhas entranhas
Viro tua vagabunda
Tua puta
Tua piranha.
Estou quente hoje sim
Sintas o que fizestes de mim.
És o peixe de meu aquário
Tubarão que nada ao contrário
O espinho de meu jardim
O couro de meu tamborim
Sem ti não há carnaval
Fim do prazer sexual.
És o atleta de meu trampolim
Tua espada nasceu
Só para rasgar dentro de mim...

 

 

 

 

20/10/2007

Teste da Banheira

 

Durante a visita a um hospital psiquiátrico, um dos visitantes perguntou ao diretor:
"Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa ser hospitalizado aqui?"
Respondeu o diretor:
"Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao doente uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie. De acordo com a forma que ele decida realizar a missão, nós decidimos se o hospitalizamos ou não."
"Entendi" - disse o visitante - "uma pessoa normal usaria o balde, que é
maior do que o copo e a colher."
"Não" - respondeu o diretor - "uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo. O que o senhor prefere? Quarto particular ou enfermaria ?"

Dedicado a todos que escolheram o balde. Rsrsrsrsrs

 

 Nota do Chicão: se você riu é porque reconheceu em você um fenômeno chamado estreitamento da consciência. Você pensou segundo um condicionamento passado. Ou seja, você não refletiu, não levantou as hipóteses, não pensou nas variáveis. Você agiu dirigido pela fala da pessoa da piada. Ele determinou que você pensasse errado. E você pensou errado.

Quantas vezes isto acontece na sua vida cotidiana? Saiba que este fato não acontece somente na piada. É uma realidade cotidiana em sua vida. E você nem sabe onde age desta forma e nem das oportunidades que você perde por ter estreitamento de consciência.

O que propomos neste blog é discutir algumas idéias e valores que possam lhe ajudar a ampliar a consciência, aproximando das leis da natureza e dos dados de realidade. É por isto utilizamos linguagem clara e sem rodeios. Discutimos os assuntos de forma transparente e construtiva.

Propomos que as pessoas entendam e superem a mente reativa/defensiva e se afastem do processo de negativização da vida.

Acompanhe este blog e reflita sobre o que está escrito aqui.

 


ESTAREI TE ESPERANDO MAIS VEZES. QUE TAL COLOCAR ESTE BLOG NOS SEUS FAVORITOS?

COLOQUE-O AGORA.

 

 

 

19/10/2007

Da série: emails que recebo

A importância da distribuição de renda

 

Caro,

ao ler este seu comentário (Meus dois amigos e a CPMF) não posso me furtar a lhe contar uma história por mim vivida. 

Meados dos anos 70 fui fazer pesquisa em Araçatuba, interior do Estado de São Paulo, a respeito de sabão em pedra para a população de baixa renda. Por questões de segredo comercial a empresa optou por enviar os diretores de pesquisa das suas agências de propaganda: eu e uma outra diretora.

Chegados a Araçatuba procuramos um restaurante e nos indicaram uma churrascaria próxima ao hotel. Já sentados no restaurante e jogando aquela conversa fora reparei numa estante de Whiskies bem em frente. Enorme com centenas de garrafas. A curiosidade me levou até lá e pude ver que cada garrafa, sempre de ótimo whiskie, tinha uma pulseira com o nome do proprietário e, surpresa, não consegui identificar mais do que 8 nomes diferentes em todas aquelas garrafas. Ou seja, uma turminha de pouco mais de ½ dúzia de abonados consumia todo aquele whiskie.

No dia seguinte ao fazer a pesquisa nos bairros periféricos reparei a extrema pobreza da população; as péssimas condições de moradia, saneamento, abastecimento, escolarização etc.; os bares, empórios e mercearias igualmente pobres e vazios de clientes.

O que poderia explicar tamanha disparidade? A estrutura de propriedade fundiária onde poucas famílias detém quase a totalidade das terras. Uma melhor distribuição de renda faria com que cada um daqueles oito senhores tivesse apenas uma dúzia de marcas distintas de whiskie e não várias dúzias. Em compensação os bares, empórios e mercearias da periferia estariam mais sortidos e com muito mais fregueses, fazendo o dinheiro circular e gerando emprego e impostos.

Como contraponto a Araçatuba coloco a cidade de Andradas em Minas Gerais, cuja distribuição da propriedade fundiária permite uma grande circulação do dinheiro e um achatamento dos desníveis sociais.

 Com um abraço,

F. A. F. L.

 

Nota do Chicão: Adoro receber email. Me mandem mais.

A distribuição de renda deveria ser o objetivo número um da classe média brasileira. Por um motivo simples: o dono do restaurante "dos Wiskies" tem uma clientela muito limitada. Se houvesse uma melhor distribuição de renda haveria mais clientes em potencial. 

Isto é significativo pois a capacidade de consumo de uma pessoa não é apenas limitada por dinheiro. É também limitada por questões práticas, por exemplo, fisiológica: um milionário vai consumir tanto wiskie quanto um cara que ganha 5 mil reais por mês. Portanto, para a economia mais vale ter 200 ganhando 5 mil reais do que um ganhando um milhão.

Agora imagine um dentista ou um médico, com distribuição de renda eles poderiam ter (levando em consideração o exemplo acima) 200 pacientes em potencial ao invés de apenas um. 

É por isto que eu sempre afirmo: a maior parte dos interesses da classe média coincide com o interesse dos mais pobres. 

É uma pena que a classe média confunda tudo e se associem aos interesses das classes altas.

Distribuição de renda gera benefícios para todos e, inclusive, uma vida mais justa.

Na atual discussão sobre a CPMF - reduçãod e impostos - porque não se discute a eliminação dos impostos incidentes sobre transporte público? Simplesmente porque enste caso esta redução gera benefícios de redistribuição de renda. Ou seja, não interessa a classe alta. Mas interessa muito a classe média. É só fazer as contas.

Uma pessoa que ganha 4 mil por mês paga aproximadamente R$180,00 por ano de CPMF. Se ela paga o transporte de uma emrpegada doméstica e o valor da passagem de ônibus cair em 40% ela pode economizar aproximadamente 40 reais/mês. ou seja, aproximadamente 480,00 por ano.

Quem perde: a classe alta e as grandes empresas. Quem ganha: os mais humildes, a classe média e a ecologia (o transporte público é mais ecológico que o transporte individual).

 

 

 

19/10/2007

Uma bonitinha para te animar nesta sexta:

 

 

A felicidade da vida está em servir.

Quando for para casa, hoje, sirva sua esposa.

Junte a boa vontade com carinho

e descubra que o tesão fica muito mais gostoso.

 

 

 

18/10/2007

Para prestar atenção

 

Recebi um email de um amigo que mora na Venezuela. Neste email ele lembra que grande parte da raiva que a classe alta de venezuelana tem do presidente Hugo Chaves deriva do feroz combate que ele faz contra à sonegação. Este combate à sonegação tem feito bilhões saírem do bolso dos mais ricos. O dinheiro é usado para sustentar as "missiones", as atividades de saúde e educação que o governo montou nos lugares mais pobres do país. 

Normalmente a mídia associa as "missiones" aos petro-dólares, dinheiro que vem da exportação do petróleo, abundante no país. Este amigo, porém, me informa que boa parte do dinheiro vem do cambate à sonegação. Portanto, a raiva da classe alta vem do fato do dinheiro sair do bolso dos mais ricos e ir para ajudar os mais pobres, sendo que os ricos se sentem espoliados.

Meu amigo, ao ficar sabendo de mais uma ação da PF e da receita contra grandes sonegadores, me escreve: "preste atenção na reação. Ela virá, com certeza. Eles estão pegando gente grande e, principalmente, gente do sudeste. Este pessoal não aceita correr riscos. Eles não aceitam ser ameaçados. A campanha contra o governo só vai aumentar e vai ficar mais violenta e com muito mais dinheiro para financiá-la... Em nome da ética vão querer pressionar o governo a "abaixar o topete" e não mais ameaça-los com investigações. Prender um empreiteiro como o da Gautama é uma coisa, pegar um deles, como no caso da Cisco, por fraude na exportação é outra coisa. Está perto demais da porta deles para eles aceitarem".

Meu amigo continua: "estou longe e não sei muita coisa. Mas, se pudesse dar um palpite o nome é presidência do senado. Se o pilantra do Renan sair, como deve sair, vai jorrar "interesse$" nesta eleição, com a finalidade de colocar alguém de oposição a fim de infernizar a vida do Lula e conseguir implantar uma agenda conservadora para o país".

Fica o alerta do meu amigo. Eu acho interessante o seu email. Acho que não vão tentar derrubar o Lula devido a sua grande popularidade e a falta de um nome "ilibado" da oposição. Todavia eles já estão tentando fazer com que somente partes da agenda conservadora seja efetivada neste governo.

 

Governo investiga esquema de fraude na importação de equipamentos

O governo anunciou ontem a desmontagem de um bilionário esquema de sonegação em importações que envolve várias empresas. Entre as companhias investigadas pela Receita Federal está a Cisco do Brasil, controlada pela gigante americana Cisco Systems, que atua no mercado de redes de telecomunicação corporativa...

Por meio da assessoria de imprensa, a direção da Cisco do Brasil limitou-se a informar que " está colaborando com as investigações " , mas não confirmou que o presidente da empresa no país, Pedro Ripper, estaria entre os 40 presos na Operação Persona.

O balanço da Operação Persona, divulgado ontem por representantes da Receita Federal, da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, informou que 40 pessoas foram presas em Campinas, Ilhéus, Rio, Salvador, São Paulo e Santos. Nesse grupo estão diretores e o presidente da Cisco do Brasil e seis auditores fiscais, segundo o governo. Ainda de acordo com esse balanço, um escritório de advocacia especializado em direito internacional e financeiro, com sede no Panamá, criava e administrava empresas de fachada localizadas nos paraísos fiscais das Bahamas, Ilhas Virgens Britânicas e Panamá. Os dirigentes dessas empresas eram " laranjas " , pessoas que emprestam seus nomes e não têm patrimônio...

O coordenador-geral de Pesquisa e Investigação da Receita, Gerson Schaan, explicou que o esquema usava uma rede de empresas fictícias para ocultar os reais beneficiados na importação do produtos da empresa que liderava o esquema. Com a sonegação, os bens eram vendidos pelo mesmo preço cobrado no exterior. Dessa maneira, os softwares eram superfaturados e os equipamentos das redes de telecomunicação corporativa eram subfaturados em até 70%. O plano era esse porque não há incidência de imposto de importação sobre softwares e a alíquota média sobre esse tipo de equipamento é de 10%. Além disso, as notas fiscais indicavam a passagem das mercadorias pelo pólo de informática de Ilhéus, mas elas eram despachadas dos EUA para São Paulo.

As investigações basearam-se em quebras de sigilo telefônico e bancário e foram iniciadas há dois anos a partir de informações de uma pessoa que trabalhou em uma das empresas envolvidas. Além de tributos federais (imposto de importação e IPI), também houve sonegação de ICMS. As autoridades americanas foram informadas sobre o interesse na prisão de cinco brasileiros que moram naquele país. Segundo a delegada da Polícia Federal, Erika Tatiana Nogueira, grandes empresas instaladas no Brasil compraram esses bens fabricados sob encomenda nos Estados Unidos, mas ainda não ficou provado que elas sabiam das fraudes nas importações.
http://www.osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

 

 

18/10/2007

Livres Pensadores: o que realmente nos interessa

 

Um livre pensador não deve se apegar a nomes. Devemos nos apegar a idéias e a propostas. Nomes passam; vão e desaparecem. Idéias e projetos não. 

Aqueles que estão distantes se engalfinham e se desiludem por causa de nomes, que são pessoas com suas fraquezas e dificuldades. Desta forma muitos desistem da luta, já que desiludidos esquecem que pessoas não substituem ideais e nem ideais morrem junto com pessoas.

Veja o caso do senador Renan, o ex-ministro da justiça do governo FHC-PSDB e fiel aliado do governo Lula: muitos torcem para ele perder o cargo, já que não é uma boa pessoa. Mas, quem vai entrar no lugar dele? Eu, particularmente, gostaria de vê-lo na cadeia, mesmo sabendo que vários outros também deveriam estar lá. 

Pensa bem, agora: qual a real importância do Senador Renan em sua vida? O que realmente muda se for o Renam, o Penam, o Jenam, o Kanam, ou outro qualquer? Nada. Absolutamente, nada. Sabe porque? Só se muda um país com idéias e propostas. 

Pense bem: se todos os contratos dos governos estivessem na internet, as contas correntes de cada órgão a disposição na internet, para que todos soubessem o que foi pago, para quem e porque; isto não seria bem mais importante?

Pense bem: as contas do seu condomínio não poderiam estar na internet, todos os contratos que são feitos, etc. A isto damos o nome de transparência pública e comunitária.

Existe um bom programa do governo chamado Brasil alfabetizado, onde houve denúncias de desvio de verbas por parte de ONGs. Que tal se o ministério da educação tivesse um portal específico para que cada sala de aula, em cada cidade, tivesse OBRIGATORIAMENTE os seguintes dados: nomes dos alunos, nome do professor, local da sala, horário de aula, etc. 

Com transparência poderíamos ter muito mais facilidade de fiscalizar e inibir a atitude desonesta de muitos cuja honestidade não resiste aos primeiros reais. 

Enquanto discutimos nomes, as reais mudanças são deixadas de lado e ficam sem discussão.

Nomes passam, nomes morrem. Idéias permanecem e podem gerar justiça e bem estar.

 

PS: onde vocês pensam que deve estar o falecido ACM? No céu, com os anjinhos? Acho que não. Foda-se onde ele está. Isto não muda minha vida e nem alegra meus dia-a-dia. 

PS2: o artigo acima não é uma defesa do gov. Lula e sim um alerta para apoiarmos as ações da receita federal e da PF.

 

 

 

17/10/2007

Poesia do Chicão:

 

Prisioneiros

 

 

 

Prisioneiros do tempo

muitos são.

Prisioneiros do orgulho

muitos são.

Prisioneiros do status

muitos são.

Prisioneiros do poder.

Prisioneiros da vaidade.

Prisioneiros da preguiça.

Prisioneiros...

Quem sobra, afinal?

Sobram os livres,

aqueles que não dependem de outros para

se sentirem amados,

se sentirem valorizados,

se sentirem gostados,

se sentirem respeitados,

se sentirem lembrados.

Pois são estes desejos que aprisionam

o homem que um dia foi livre.

 

 

 

 

17/10/2007

As empresas estrangeiras e a CPMF (a arte de empobrecer um país)

 

Nos últimos anos o Brasil se tornou um país atrativo para o investimento estrangeiro. O mercado interno e as condições macroeconômicas transformaram o Brasil num dos principais pólos de absorção do excesso de recursos financeiros do planeta. Isto significa que estas empresas conseguem dinheiro super barato para comprarem suas competidoras nacionais.

Depois de investir elas querem ter lucro e mandar para seus países de origem. Entre 2003 e 2006 as remessas destas empresas para suas matrizes no exterior foi de U$37,8 bilhões. Isto mesmo quase 38 bilhões de dólares.

Se acabar a CPMF elas poderão aumentar seus lucros e remeter mais dinheiro para fora do país. Isto mesmo: serão retirados bilhões da saúde e de outros programas sociais para que parte significativa deste dinheiro seja enviado para o exterior.

É uma boa troca para o país? Pense bem?

O que proponho:

-         manutenção da CPMF

-         eliminação de todos os impostos incidentes sobre o transporte público coletivo (ônibus, metrô, trens, etc)

-         Taxas diferenciadas do BNDES para empresas estrangeiras, para que a diferença de juros seja investida em pequenas empresas e em cooperativas. Ex: empresa estrangeira paga 1% a mais de juros. Esta diferença será cobrada a menos de pequenas empresas e cooperativas. Como o total investido pelas grandes empresas multinacionais é grande, o desconto poderá ser bem maior do que 1%.

-         Por fim, renovar o conceito de que o mercado interno do Brasil é patrimônio do povo Brasileiro e que para empresas estrangeiras o explorarem elas devem pagar por isto. Esta taxa poderia ser utilizada para a criação de um fundo de proteção ao meio ambiente.

Houve um tempo em que o Brasil tinha que se esforçar para buscar investimento estrangeiro. Hoje a realidade é outra. Está na hora de defendermos o patrimônio nacional.

Mas, é importante evitar o que aconteceu com a Ambev, que virou multinacional. Ou seja, todas as empresas de capital nacional e que seus sócios morem no Brasil, para terem acesso a crédito subsidiado ou a outros benefícios deveriam ter a obrigação de dar uma garantia jurídica ao povo brasileiro de não serem vendida a estrangeiros.

 

Está na hora de defendermos o Brasil.

Nosso maior patrimônio é nosso território e nosso mercado interno.

 

Observem como são as coisas na China:

“Para uma empresa se instalar na China ela tinha que ter autorização do governo, ter um sócio chinês, garantir transferência de tecnologia e ainda comprar produtos fabricados por empresas chinesas. Só instalavam na China empresas que eles queriam, nas condições que eles impunham. Uma diferença brutal com a realidade descrita pela imprensa burguesa brasileira.

Áreas inteiras do país estavam fechadas aos estrangeiros, setores inteiros da economia protegidos da concorrência predatória das multinacionais. Cada empresa que se instalava lá tinha que garantir vários benefícios para as empresas chinesas e aos empresários chineses. Que diferença do projeto neoliberal no Brasil! No Brasil se abriu toda a economia sem negociação de reciprocidade com as outras nações. Acabou com a diferenciação entre capital nacional e estrangeiro, não garantiu transferência de tecnologia, etc. Resultado: a China cresce e o Brasil patina”.

Do texto:

Golpe contra a classe média: fim da CPMF 

 

Observaram a diferença?

Agora é nossa vez de fazer a diferença...

 

 

17/10/2007

Da série: Poesia Erótica Feminina

 

AMOR, AMOR , AMOR...

Tania Lemke

 

Vem!

Vem depressa amor

Vem abafar este ardor

Esta chama acesa

Esta brasa, incerteza

Este vazio no peito

Este frio no meu leito.

Vem!

Me aquece

Me enlouquece

Me emudece

Com seus beijos

Envoltos em meus desejos.

Façamos de nós um só

De nossos abraços um nó

De nosso tesão, comunhão

De nossa volúpia

Alegria

De nossos toques, império

Dos nossos desejos, mistério

A serem desvendados

Desembrulhados

Deglutidos

Satisfeitos.

Vem!

Amor, amor, amor, vem!

Sem seu toque e seu amor,

não sou ninguém!

 

 

 

 

 

16/10/2007

Paz em Israel. Guerra no Brasil (2)

 

No primeiro texto desta série analisei a descoberta de que a probabilidade de alguém morrer violentamente em Israel é muito menor que no Brasil. Hoje vamos analisar alguns dados que podem estar diretamente relacionados a origem desta realidade, para tanto irei contar duas histórias:

Brasil – tive uma reunião com um engenheiro que estava fazendo os projetos hidráulicos e elétricos de uma obra de engenharia. Ao me mostrar o projeto disse: “este aqui é para levar até a empresa de água e esgoto. Este outro é o que realmente vai ser feito”. Eu assustei e disse: “como assim”? Ele respondeu: “esse pessoal exige um monte de coisas desnecessárias que só servem para criar problema...” Ele falava isto com uma cara de – “estou te ajudando”.

O desejo dele era ser "legal e facilitar". Um desejo bom? Lógico que não. A forma como este desejo é produzido relata um dos motivos da desgraça deste país: para ser legal ele precisa desqualificar e negativizar os outros. Observem bem: para facilitar minha vida ele julga que a empresa de saneamento da cidade exige o que não deveria e o que não há necessidade. Ou seja, ele decide por si próprio o que é importante ou não. Decide segundo o seu desejo, seu egoísmo, preguiça, e até segundo seu conhecimento técnico limitado. Decide sempre denegrindo os outros técnicos que estudaram os problemas, definiram normas, organizaram regras e procedimentos. Ou seja, existem muitos outros técnicos que refletiram sobre o problema e concluíram que o melhor para a sociedade era seguir aquelas regras.

Eu olhei para o engenheiro e disse: “sabe, vários anos atrás eu pensava como você. Hoje eu mudei, só faço o correto e aprendi que ganho rios de dinheiro fazendo isto. O que você está me propondo é que eu deixe de fazer o que é correto”? O engenheiro me olhou como se eu fosse um ET. O pobre coitado estava tão prisioneiro da forma, negativa e destruidora, do brasileiro pensar que não entendeu o que eu havia dito: “como alguém pode ganhar dinheiro gastando mais dinheiro para fazer o que é correto”? Certamente, até hoje ele não entendeu o quanto ele perde neste jogo de destruição e negativização.

Isto me fez lembrar quando fui visitar uma indústria de embalagens plásticas, logo depois que saiu uma norma obrigando as empresas a usarem códigos impressos nestas embalagens para facilitar a reciclagem futura deste plástico (os códigos descrevem que tipo de plástico foi usado na produção). Estavam todos os engenheiros e administradores putos da vida com “mais uma burocracia”, idéia de “gente que não tem o que fazer”, “por isto que o Brasil não vai para frente”. Debochando eles diziam: “alguém deve ter dado uma graninha para eles ...” Negativizando e destruindo. Tudo porque havia uma norma que visava possibilitar a reciclagem do plástico, algo bom e necessário.

Israel – fui até o mar vermelho, queria mergulhar neste paraíso. Quando fui almoçar comentei com um grupo de judeus que iria fazer mergulho no dia seguinte. Eles me falaram: “você já tirou sua autorização”? Eu disse que já havia tirado. E completei testando-os: “é muita burocracia, não é”? Eles responderam: “É trabalho, sim. Mas, se é necessário para preservar ...” Fantástico!!!! Fiquei fascinado. Naquela resposta estava embutido um senso brutal de respeito ao próximo e ao trabalho do outro. O que eles me “disseram” foi a seguinte: alguém, para fazer as normas, estudou o problema. E nós respeitamos a decisão destas pessoas, porque eles se aprofundaram em um problema e nós não. Aí está um exemplo de valorização e de respeito ao conhecimento técnico e às normas que visam criar uma sociedade melhor.

No Brasil as pessoas se acham espertas ao decidirem por si próprias o que respeitar ou não. Depois elas reclamam dos políticos...

 

Leia:

Paz em Israel. Guerra no Brasil. (1)

 

 

 

 

Poesia do Chicão:

 

O que Deus fez é belo!

 

 

 

O que Deus fez é belo,

alguns homens, por estarem distante Dele,

transformaram em feio.

O que Deus fez é natural,

alguns homens, por estarem distante Dele,

transformaram em anti-natural.

Estes homens criaram a moral,

e transformaram os homens em imoral,

por usufruirem do que Deus tão bem projetou.

Quem eu escolho?

Ao lado de quem eu fico?

Daquele que me ensina que posso ver e observar o que é belo,

ou de quem transforma a vida em coisas feias?

 

 

 

 

Voltar a página principal do Blog do Chicão

 

 

 

Você pode se filiar ao grupo "notícias do Chicão" e receber no seu email o material deste blog (à excessão das fotos, músicas e desenhos)

mande um email para: 

noticias_chicao-subscribe@yahoogrupos.com.br

 

 

Artigos antigos

 

Visite as páginas dos outros meses.

2 abril 08 / 1 abril 08 / 2 março 08 / 1 março 08 / 2 fevereiro 08 / 1 fevereiro 08 / 2 janeiro 08 / 1 janeiro 08 / 2 dezembro 07 / 1 dezembro 07 / 2 novembro 07 / 1 novembro 07 / 2 outubro 07 / 1 outubro - 07 / 2 setembro - 07 / 1 setembro - 07  /  Agosto - 07

página principal do blog antigo

 

 

ESTAREI TE ESPERANDO MAIS VEZES. 

QUE TAL COLOCAR ESTE BLOG NOS SEUS FAVORITOS?

 

 

 

ESTAREI TE ESPERANDO MAIS VEZES. QUE TAL COLOCAR ESTE BLOG NOS SEUS FAVORITOS?

COLOQUE-O AGORA.

 

 

Você pode se filiar ao grupo "notícias do Chicão" e receber no seu email o material deste site (à excessão das fotos, músicas e desenhos)

mande um email para: 

noticias_chicao-subscribe@yahoogrupos.com.br